Escolher nome de empresa é mais difícil que escolher nome de filho

Há dois meses eu tenho percorrido uma saga ao escolher um nome bacana para o meu negócio, é realmente difícil decidir um nome para uma empresa e mais ainda quando se trata da sua. O que agrava minha exigência interior é eu ser da área de marketing e já ter visto muitas escolhas terríveis por aí.

Desde criança eu sempre pensei em qual seria o nome dos meus filhos: se for menina vai chamar x e se for menino y, mas essas opções mudaram já algumas vezes porque conheci pessoas chatas com esses nomes ?. Eu ainda não tenho os filhos e nem o pai deles, mas os nomes já estão escolhidos, kkkk

Mas eu estou falando isso, porque eu nunca fui incentivada a  pensar em um nome caso eu viesse a ter uma empresa, mesmo tendo pai empresário. Eu compreendo que meu pai não me incentivou a isso porque queria tanto que eu continuasse o negócio da família que jamais viu essa necessidade, rs.

Eu já escolhi nomes e marcas para várias empresas e produtos de clientes e para os outros não foi tão difícil, simplesmente porque eu não estava envolvida emocionalmente e consegui ter uma visão não contaminada sobre as opções em questão.

A grande responsabilidade é que uma empresa nasce para fazer sucesso e crescer, por isso o nome dela tem que ser pensando com esse viés.

Além disso é algo que o empresário irá carregar pelo resto de sua vida e irá repetir zilhões de vezes ao soletrar o email, ou seja, não dá pra correr o risco de ter uma marca com piadinhas ou trocadilhos de duplo sentido.

É lógico que não existe uma regra para esse assunto, afinal um bom trabalho de marketing posiciona qualquer marca, por mais ruim que o nome seja. E jamais pense em criticar abertamente uma marca, porque ela pode ser o nome do dono da empresa, rs.

Por falar nisso, eu confesso que sempre tive um pré-conceito com empresas que tem o nome do dono, eu julgava como “coxinha”, falta de criatividade ou falta de zelo do tipo “ahh não quero pagar um profissional de marketing então vou por  meu nome mesmo”. Quebrei feio a cara com essa experiência que estou tendo e resolvi partilhar isso nesse artigo.

Só quem já se empenhou para escolher o nome da sua empresa sabe do que eu to falando, pra quem não sabe, vou explicar:

Eu tenho um checklist na minha cabeça, que faço ao escolher um bom nome, que é:

1) Já tem alguma empresa com esse nome?

Já existe alguma empresa com o mesmo nome no seu segmento? Se sim, esquece porque você não vai querer que seu cliente te confunda com seu concorrente né? Uma pesquisa rápida no Google já te diz se sua ideia é exclusiva ou não.

2) A sua marca, marca?

De alguma forma a marca precisa ser fácil de ser lembrada, então é legal relacionar com o que você faz, com quem quer atender ou com o propósito do seu negócio. Outra reflexão é: “que impressão esse nome passa e que sensação dá? O que essa marca comunica? ”

3) É possível piadinhas negativas com esse nome?

Existe alguma piadinha ou conotação negativa com o nome em questão? Se você se esforçar, vai se lembrar de várias marcas que vivem nas piadinhas com duplo sentido. Para validar pergunte aos amigos o essa marca remete a pensar em uma primeira impressão.

4) É fácil de ler e escrever?

Toda a minha vida eu tive que soletrar como escreve meu nome, se o Y vai no meio ou no final, e até hoje ainda erram. Não tem coisa mais chata do que ter que soletrar ou ficar explicando o que significa o nome da sua empresa. Pior do que isso,  é correr o risco da pessoa digitar o nome da sua empresa errado e os e-mails de negócios não chegarem, já pensou?

5) O domínio (endereço do site)  está disponível?

Bem, se o nome for fácil de digitar e falar é só registrar o endereço na internet né? Não. Tem que ver se alguém já não registrou esse endereço. Você pode até usar uma variação, mas terá que ver mais uma vez se o endereço ficou fácil de escrever ou ficou muito longo, com muita sigla, etc. Você pode validar se o domínio está disponível aqui ou aqui, inclusive há vários tipos de extensões além do .com ou .com.br. Se for escolher uma opção alternativa de extensão, escolha uma relacionada ao seu segmento ok?

6) A marca ficou sonora?

Vale a pena falar em voz alto seu possível email pra ver como ele soa. Fale em voz alta para si mesmo e para outra pessoa, “fulano@empresax.com.br”.  A pessoa te entendeu? ela escreveu certo o que você disse?

7) Esse nome já foi registrado por outra empresa?

Você precisa verificar se alguém já registrou os direitos dessa marca no território nacional. É claro que um mesmo nome é usado em vários segmentos diferentes, mas você precisa ver se no seu segmento aquela marca já está registrada. Você pode verificar isso no site do INPI. Marca disponível? Vamos para os próximos crivos:

8) Usar o próprio nome não é feio

Eu acredito que cada um não carrega seu nome por acaso. Cada pessoa tem com seu nome uma história. Existe um motivo por ele ter sido escolhido e uma identidade que é só tua, ou seja, é exclusivo. Embora eu tenha resistido muito em criar algo relacionado ao meu nome, algumas pessoas comentaram que meu nome já é conhecido, mas o bullying que sofri na infância com o sobrenome Laranjeira me limita. Nem preciso explicar né? rs

Em contrapartida o meu primeiro nome Gleicy vem de Grace = Graça de Deus. Eu gosto, mas encurto quando possível para evitar a fadiga de ter que explicar onde vai o y.

9) Qual é o propósito que essa marca carrega?

Aqui entra o meu crivo pessoal. Eu vou carregar essa marca pro resto da vida, por isso ela precisa me motivar e comunicar ao mundo aquilo que eu acredito, não pode ir contra os meus valores. Além disso deve ter a minha cara e ir de encontro ao meu posicionamento: Como eu quero que minha empresa seja vista? Além disso a pergunta final que eu faço pra validar é:

“Será que é esta marca e esse propósito que Deus quer para o meu negócio?”

Há quem me julgue doida, mas eu pergunto pra Deus se este é o nome que Ele quer e se está de acordo a missão que Ele tem para os negócios que serão atraídos por essa nova marca.

10) Não pire, nem perca o tempo

Você sente que nenhum nome está bom porque que não passa nos crivos acima ou não agrada as pessoas? Keep Calm! Se você gostou mesmo e isso causou paz ao seu coração, mete o pé e decida pela sua cabeça. É preciso ter equilíbrio e é impossível agradar a todos, porque cada pessoa terá uma percepção diferente sobre uma mesma marca. Se você contratou um especialista pra resolver isso, confie no trabalho desse profissional pois certamente ele já crivou tudo que falei acima.

 

———————

Gleicy Laranjeira é graduada em Relações Públicas e especialista em marketing, tem 9 anos de experiência e já atuou tanto em empresas como em agências. Agora oferece serviços de assessoria em Marketing Digital e Inbound Marketing, para empresas que estejam prontas para vender mais e investir em um marketing de resultados, não de vaidade.

0
Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.